sábado, março 25, 2006

O tempo do tempo...


Somos máquinas do tempo... seres não tecnológicos que viajamos pelos segundos da vida..

Nem damos conta que o somos! Viajamos à “velocidade” normal...

Desde que nascemos, até que as nossas funções orgânicas cessam, somos naves que atravessam esse misterioso conceito.

E como o percepcionamos?

Ao longo da nossa viagem, vamo-nos apercebendo que o tempo se vive de forma diferente em distintos momentos.

Em crianças cinco minutos, são uma eternidade... Em adultos, 5 minutos passam num pestanejar (especialmente quando já estamos atrasados).

E quando estamos ansiosos por saber algo? Cada segundo cai tão lentamente..

Ou então... quando vamos a cair ou num acidente? 3 segundos são transformados em 10 minutos de informações tácteis e visuais.

Isto deve-se ao nosso cérebro ter a capacidade, para economia de “recursos”, de acelerar e travar o tempo, captando e processando, respectivamente, menos ou mais informação.

Damo-nos ao luxo de desperdiçar segundos da nossa vida.. sem que saibamos, de antemão, qual é o nosso “saldo”... Será que pensamos que, tal como o dinheiro, podemos fazer créditos pessoais de anos de vida? Bem... podemos ir fazendo umas poupanças (hábitos saudáveis).. e uns planos poupança reforma (mantendo os hábitos saudáveis). Porém nunca sabemos quando é que o banco abre falência e as poupanças se volatilizam.

A azáfama dos dias de hoje, não nos permite contemplar o tempo, as situações.. Os espaços os quais debulhamos vezes sem conta e que num dia, passados anos, decidimos levantar o concentrado olhar do chão.. acompanhado de um suspiro que nos refresca a mente, e constatamos, por breves momentos, a beleza dos locais.

Tentemos transformar todos os dias, 5 segundos em 5 minutos, ao inspirarmos lentamente pelo nariz, sentido e degustando o cheiro, ao mesmo tempo que abrimos os olhos e os deixamos banhar-se da luz do dia e da beleza do mundo.

Só vivemos uma vez não é verdade?

5 Comments:

Blogger casper said...

Isso é que foi filosofar pelos segundos, minutos, horas, dias, anos, que tão apressadamente e sem nos apercebermos passam a uma velocidade estonteante, tal é a vida "turbo"lenta que levamos hoje em dia.

Deixo um conselho a quem ainda consegue ter uma vida razoavelmente calma e sem stress:

aproveitem ao máximo (e em todos os sentidos, mas sem entrar em loucuras) todos os segundos que a vida vos proporciona, acreditem que vale a pena viver e que a nossa passagem por cá é mais curta do que o que parece.

Já agora só se vive mesmo uma vez???!!!

26 março, 2006 06:04  
Blogger Baronesa Vermelha said...

É melhor acreditarmos que é só mesmo uma vez :P caso contrário, preguiçosos como somos, já não vamos adiar tudo para amanhã, mas tudo para a próxima encarnação! hahaha

Quanto a não cometer loucuras... atrevo-me a espetar aqui com um clichet...
"mais vale perder um minuto na vida, do que a vida num minuto"

;)

26 março, 2006 16:19  
Blogger Adrenaline said...

Muito bom, como de costume aliás.

Já tinha reflectido sobre este mesmo assunto e revi os meus pensamentos em partes do teu texto, o que é sempre agradável :)

Parabéns por mais um excelente pensamento.

*

27 março, 2006 02:52  
Blogger casper said...

Baronesa Vermelha said...
«É melhor acreditarmos que é só mesmo uma vez :P caso contrário, preguiçosos como somos, já não vamos adiar tudo para amanhã, mas tudo para a próxima encarnação! hahaha

Quanto a não cometer loucuras... atrevo-me a espetar aqui com um clichet...
"mais vale perder um minuto na vida, do que a vida num minuto"»

;)

lol e pessoal preguiçoso como eu para aí não falta de certeza... hehehe...

e sim é esse o lema que uso quando estou atrasado para o escritório venha lá quem vier. ;)

27 março, 2006 22:12  
Anonymous Moranguinha said...

Baronesa Vermelha, adorei este teu texto, então a imagem nem se fala. A imagem de um grande e famoso pintor da nossa história e que marcou uma tipo de pintura. muitos parabéns, está muito bom o blog

05 abril, 2006 15:02  

Enviar um comentário

<< Home