domingo, dezembro 09, 2007

O Baloiço


Espero, ansiosa, pela minha vez.

Mais uma tarde de Verão em que, debaixo dos olhos zelosos da mãe à janela, aguardo por poder andar no baloiço.

Finalmente chega o almejado momento e começo a baloiçar... para a frente e para trás, cada vez com mais impulso.

Agarro-me com força às correntes ficando com as mãos vermelhas e inundadas do cheiro a ferro oxidado...

Tento chegar cada vez mais alto, mais alto, e mais...

Fartei-me. Salto e enterro os pés da areia fofa já suja de folhas e pequenos ramos. Vou para casa, é hora do lanche!

Após anos, de extremos me mantenho...
Cá e lá,
À frente e atrás.
A amar e a odiar
A querer e a desprezar
A sentir e a morrer.

Com a mesma cadência com que outrora me baloiçava no baloiço de infância, baloiço-me agora, no baloiço da alma.

Estou farta, mas não encontro nem a areia, nem o lanche ou a casa...
Tenho os punhos enrolados nas correntes e o meu peso não deixa libertar-me. Tento não dar impulso, mas o baloiço anda independentemente da minha vontade.
Fico tonta... fecho os olhos e deixo-me ficar... Ficar ao sabor do baloiço, desejando que pare, que me deixe sair...

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

a vida é um baloiço, e por vezes, tentamos pará-lo porquê??
Não é bom sentir o nosso ritmo,, deixar-mo-nos embalar, sem o complexo do que possa parecer aos olhos da sociedade??
Segura-te a vida, e aproveita o bom que ela nos d+a em cada nascer do sol..


Beijinhos

dá uma vista de olhos...


http://o-amante.blogs.sapo.pt/

10 dezembro, 2007 00:27  
Blogger J said...

paz. isso de marés.. há que contar com a lua cheia por causa das águas vivas, a temperatura da água, o nível de sal, o vento que sopra de norte ou que não sopra de todo.

tudo coisas que não nos cabe a nós controlar. apenas podemos remar contra a maré, tentar encontrar um porto de abrigo, e não baixar os braços. paz.

claro q não faz mal sentir o sal da água nos dentes, rasgar as ondas com o corpo e afogarmo-nos. desde q saibamos regressar à tona d'água sem bocejar, quiçá gritar.

paz. muita.


J

11 dezembro, 2007 23:49  
Anonymous lobo said...

Bem vinda de volta Baronesa.Há quanto tempo.

18 janeiro, 2008 10:54  

Enviar um comentário

<< Home